Menu

VIRNA TEIXEIRA lee Le petit chaperon rouge

  Le petit chaperon rouge dorme. O lobo mau se perdeu no bosque. Em Wimbledon Common. Mary mary quite contrary. Meu jardim cresce sem rimas. Vejo um guarda florestal num cavalo negro, recolhendo galhos.

Gladys Mendía 6 años ago 5
Compartir:

 

Le petit chaperon rouge dorme. O lobo mau se perdeu no bosque. Em Wimbledon Common. Mary mary quite contrary. Meu jardim cresce sem rimas. Vejo um guarda florestal num cavalo negro, recolhendo galhos. Vejo tenistas. Na feira anual, alguém desmonta o circo. Um carrossel com um ônibus vermelho. Um trailer com palmeiras de néon. Não há acrobatas, nem picadeiro. É só uma tarde de verão com nuvens que se desmancham em formas, se dispersam. Entre o rastro de voo neste equinócio, que desaparece, simétrico, na direção do sol.

 

 

Virna Teixeira (Fortaleza, Brasil 1971) Escritora, neurologista, poeta, editora, curadora y traductora brasileña. Vive en Londres. En Brasil, publicó Visita (2000)  y Distância (2005) por la editorial 7 Letras, Trânsitos por Lumme Editor (2009), y Suite 136 (Demônio Negro, 2017). Su libro A Terra do Nunca é Muito Longe salió por Não Edições en Lisboa , 2014. El libro fue publicado en versión bilingue en 2016, Neverland is Too Far Away, por Carnaval Press (Londres), con ilustraciones del artista portugués João Concha.